Uma nova explosão nesta quinta-feira atingiu um edifício oficial de Liucheng, no sul da China, onde na quarta-feira outras 17 bombas causaram a morte de sete pessoas, 51 feridos e dois desaparecidos. Segundo a agência oficial Xinhua, o alegado ataque de hoje ocorreu por volta das 08:00 locais (01:00 em Lisboa) numa casa perto do escritório da administração de estradas de Liucheng.

Segundo a agência espanhola Efe, desconhecia-se esta manhã se a nova explosão causou mais vítimas, apesar de ter causado graves danos num edifício de seis andares, visíveis em imagens divulgadas nas redes sociais, que mostram tijolos e escombros espalhados na rua.

O principal suspeito da série de explosões, que terá contado com a cooperação de outros, foi já detido pela polícia, anunciou aquela força. 

As explosões de quarta-feira, iniciadas pelas 15:15 locais (20:15 em Lisboa) afetaram vários edifícios públicos da localidade, como centros médicos, mercados, estações de autocarros e uma prisão, segundo a estação de televisão oficial chinesa CCTV.

Os  explosivos estavam ocultos em encomendas postais.