Uma explosão num armazém, situado no porto de Santos, em São Paulo, no Brasil, provocou na quinta-feira um incêndio e uma nuvem de fumo tóxico que ainda paira sobre quatro cidades.

O fogo foi controlado, mas as autoridades não dão qualquer previsão de quando a situação vai ficar normalizada. Pelo menos 66 pessoas tiveram que receber assistência hospitalar.

Guarujá, Santos, São Vicente e Praia Grande estão debaixo de uma nuvem de produtos químicos.

O terminal e as casas próximas do porto foram evacuadas. Os moradores foram obrigados a usar máscaras médicas por causa do fumo e notaram dificuldades em ver.

Uma mulher, que mora a um quilómetro do armazém, contou ao G1 os momentos que viveu.

“Entrou fumaça por um dos banheiros e tínhamos que usar máscara dentro de casa”, afirmou Marielly Fresanso, acrescentando que, depois de sair para a rua, a fuga também não foi fácil: “Nós só conseguíamos enxergar a curta distância, bem curta mesmo. Parecia coisa de filme”.


A maior preocupação de Marielly Fresanso era os filhos: “Como tenho dois bebés, precisei sair rapidamente da casa da minha família, pois a situação por aqui estava bem complicada”.

A explosão num armazém de uma empresa que fornece líquido para refrigeração de equipamentos e camiões, informou que a explosão provocou a libertação de ácido e líquido desinfetante.

O incidente foi provocado pela reação dos químicos com a água da chuva.