Uma jovem sofreu queimaduras graves depois de um carregador portátil de telemóvel ter explodido, provocando um incêndio no quarto.

Katy Emslie, de 26 anos, ligou o aparelho ao computador portátil e deixou-o a carregar durante a noite. Por volta da uma da manhã, a estudante de medicina acordou ao ouvir um estrondo, semelhante a “fogo de artifício”. Depois de explodir, o carregador foi projetado e chocou contra a parede do quarto, incendiando o tapete.

Em pânico, Katy tentou controlar o fogo usando as mãos, o que a deixou com queimaduras graves.

“A barra de energia explodiu e as chamas começaram a espalhar-se pelo meu quarto. Eu gritei pela minha mãe, que estava no quarto ao lado, e tentei apagar o fogo com as minhas mãos porque estava preocupada que o incêndio se pudesse estender à minha cama”, disse, em entrevista ao The Telegraph.

“A minha mãe veio até ao quarto e apagou as chamas com uma toalha. Eu corri para passar as minhas mãos por água fria. Depois fomos às urgências onde tive de manter as minhas mãos sob água durante três horas, para estarem frias o suficiente para serem tratadas”.


Foram precisas 10 horas para tratar as queimaduras de segundo grau resultantes do incidente.

Apesar dos ferimentos, Katy deve recuperar e retomar a sua vida normal.

 Um porta-voz da empresa que fabrica os carregadores, a EE, afirmou que este se tratou de um “incidente isolado”, garantindo que “todos os produtos passam por testes de segurança. Estamos a investigar as causas do problema e a trata-lo como uma questão de urgência”.

Katy Emslie disse que foi contactada pelos responsáveis da marca, que lhe garantiram que “vão proceder a um inquérito interno”. “Mas tudo o que eu quero é voltar a poder usar as minhas mãos completamente”.