Todos os familiares do tio do líder norte-coreano que Kim Jong-un mandou executar também foram condenados à morte. No grupo, que terá sido enviado para o corredor da morte pelo líder norte-coreano, estão crianças e diplomatas do país em Cuba e na Malásia. A informação foi avançada este domingo pela agência Yonhapnews, que cita fontes anónimas.

Jang Song-thaek foi executado no mês passado, sob acusação de tentar derrubar o regime. Além dele, foram também executados todos os parentes diretos. «Todos os parentes de Jang foram condenados à morte, incluindo crianças», diz uma fonte anónima citada pela agência.

No grupo, está uma irmã de Jang, chamada Jang Kye-sun, o seu marido e embaixador em Cuba, Jon Yong-jin, e o embaixador na Malásia, Jang Yong-chol, sobrinho de Song-thaek, e os seus dois filhos. Todos foram chamados a Pyongyang no início do mês de Dezembro e executados. De acordo com as fontes ouvidas pela agência, os filhos, filhas e netos dos dois irmãos de Jan Song-thaek também foram executados, não tendo sido adiantada a data em que tal aconteceu.

«Alguns parentes foram mortos a tiro de pistola, à frente de outras pessoas, depois de resistirem e serem arrastados para fora de suas casas», disse a mesma fonte anónima.

Alguns parentes por casamento, incluindo a esposa do embaixador para a Malásia, foram poupados de execuções e enviados para aldeias remotas, juntamente com as famílias de solteiros.