A Jordânia executou na madrugada desta quarta-feira os dois jihadistas iraquianos, reivindicados pelo Estado Islâmico, em retaliação à execução de um piloto jordano, queimado vivo pelo grupo extremista, informou o porta-voz do governo.

Sajida Al-Rishawi, condenada à morte pela sua participação nos ataques terroristas de 2005 em Amã, e Ziad Karbouli, responsável da Al-Qaida, foram executados pelas 04:00 (02:00 em Lisboa), disse à AFP o porta-voz, Mohammad Momani.

A decisão de executar a iraquiana foi anunciada depois do grupo Estado Islâmico ter divulgado um vídeo em que afirma ter queimado vivo o piloto jordano, capturado em dezembro, no qual divulga alegadas imagens do ato.