A China, país que executa o maior número de condenados a nível mundial, aplicou a pena capital a 2.400 pessoas no ano passado, anunciou hoje uma organização não-governamental.

A execução de 2.400 pessoas constitui, todavia, uma queda de 20% em relação a 2012, e uma descida considerável comparativamente às 12.000 execuções registadas em 2002, indica um comunicado da Fundação Dui Hua («Diálogo»), sedeada nos Estados Unidos.

Um balanço que não é comparável ao recorde de 24.000 condenações à morte anunciadas em 1983, quando a China era liderada por Deng Xiaoping.