A empresa Husi de Xangai, que protagonizou em julho um escândalo alimentar na China devido à venda de carne podre a várias multinacionais de comida rápida, vai despedir esta semana 340 trabalhadores, informa esta terça-feira a imprensa chinesa.

A fábrica em Xangai, filial do grupo norte-americano OSI, um conglomerado de processamento alimentar com sede em Aurora (Ilinois, Estados Unidos), está paralisada desde a vinda a público do escândalo alimentar.

A empresa explicou, em comunicado, que trabalhou no plano de despedimentos em conjunto com as autoridades de Xangai.