A socialista Michelle Bachelet venceu este domingo as eleições presidenciais do Chile com larga vantagem e a sua opositora, Evelyn Matthei, já reconheceu a derrota.

«Vou telefonar-lhe para lhe dar os parabéns e para lhe desejar o maior êxito no seu Governo. O meu desejo mais profundo e honesto é que corra bem. Ninguém que ame realmente o Chile pode querer o contrário», disse a candidata derrotada, emocionada, perante os seus apoiantes.

Michelle Bachelet converteu-se na primeira mulher reeleita presidente do Chile, vencendo a segunda volta das presidenciais. Com a quase totalidade das mesas de voto escrutinadas (98,16 por cento), Bachelet tinha 62,20 por cento dos votos, face a 37,79 por cento de Matthei.

A candidata derrotada disse na sede de candidatura que nunca desejou aquele desafio, mas que também nunca pensou fugir a ele. «Agradeço profundamente aos que me apoiaram e acreditaram no projeto de sociedade que queríamos construir no Chile», disse.

Na primeira volta, Michelle Bachelet obteve 46,6 por cento dos votos.

Evelyn Matthei, 60 anos, ex-ministra do Trabalho, entrou tarde na corrida depois da retirada de outros líderes conservadores e reconheceu que se tratava de um combate de «David contra Golias».