Foram divulgadas imagens, filmadas por uma câmara de vigilância, que mostram Philip Chism, que matou a professora com um x-ato, em 2013, a perseguir a docente, Colleen Ritzer. No vídeo pode ver-se também o jovem a sair do recinto com um contentor do lixo, no qual a acusação acredita que terá escondido o corpo.

Foi em outubro de 2013 que o caso chegou a público e que chocou os norte-americanos. Na altura, Philip Chism tinha apenas 14 anos, quando foi acusado de ter matado e violado a professora de matemática, que tinha somente 24 anos, em Massachusetts, nos EUA.

Depois do crime, o adolescente teria roubado também a roupa interior da professora, os cartões de crédito e iPhone. De seguida, teria escondido o corpo num contentor da reciclagem, que largou depois no campo de futebol da escola.

Dois anos depois do crime, a acusação revelou vídeos de segurança do liceu, filmados no dia do homicídio, que mostram Philip Chism, de 16 anos, mas que está a ser julgado como um adulto, a seguir a professora até à casa de banho, onde a terá matado, e a sair do edifício com o contentor do lixo, onde o corpo foi encontrado.




De acordo com a CNN, nas imagens divulgadas, o rapaz, que tem vestida uma camisola branca, está descalço, do lado de fora da casa de banho das mulheres, com sangue nas mãos e nas calças de ganga. Mais tarde, o adolescente surge novamente no vídeo de vigilância, mas com uma camisola preta, calções pretos e ténis azuis. A acusação acredita que Philip Chism terá trocado de roupa depois do crime.

O Laboratório Criminal de Massachusetts apresentou ainda, como prova em tribunal, alguns itens encontrados na altura, num bosque perto do liceu. Entre eles estavam uma camisola preta, um par de calças de ganga, uma t-shirt branca, uma sweatshirt vermelha, umas cuecas de mulher e um par de luvas. Em todas as peças foram encontrados vestígios de sangue.

Um dos amigos do jovem, Kevin Hebert, testemunhou em tribunal e afirmou ter visto Philip Chism, nessa tarde – uma interação que também foi filmada pelas câmaras de vigilância – e que toda a conversa do rapaz foi “normal”.

A acusação disse ainda que há mais uma filmagem relevante para o caso, em que o jovem aparece a comprar um bilhete de cinema para o filme “Gravity”, depois do crime. A gerente do cinema declarou que a compra foi feita com um cartão de crédito que pertencia a Colleen Ritzer.

A sentença de Philip Chism vai ser ditada no dia 30 de novembro, mas, até agora, o jovem continua a dizer que está inocente.