O presidente norte-americano, Donald Trump, justificou hoje o uso da frase “missão cumprida” para descrever os ataques contra instalações de armas químicas na Síria afirmando que “é um excelente termo militar que deve ser recuperado”.

Trump foi criticado no sábado por usar aquela expressão, conotada com o anúncio prematuro do fim da guerra no Iraque feito em 2003 pelo presidente George W. Bush, querra que se prolongou por vários anos.

No Twitter, hoje, Trump disse que o ataque foi “executado na perfeição” e que “a única maneira que os 'media' de notícias falsas encontraram para o minimizar foi por [...] usar o termo ‘missão cumprida’."

O presidente acrescentou estar convencido de que os ‘media’ vão apoderar-se da frase, mas que considera que ela devia ser usada com frequência.

Donald Trump declarou “missão cumprida” no sábado, depois de aviões de combate dos Estados Unidos, Reino Unido e França terem lançado uma centena de mísseis contra instalações de produção e armazenamento de armas químicas em três locais na Síria.

Mas apesar do êxito declarado pelo presidente, o Pentágono admitiu que, mesmo com a destruição daqueles três alvos, o regime sírio tem ainda instalações suficientes para, se assim o quiser, utilizar armas proibidas contra civis.

O ataque de sábado foi uma retaliação pelo alegado ataque com armas químicas lançado pelo regime sírio em 07 de abril contra a cidade rebelde de Douma, em Ghouta Oriental, nos arredores de Damasco, no qual morreram pelo menos 40 pessoas.