A Rússia admite aceitar a proposta dos Estados Unidos para uma coordenação dos ataques militares de Moscovo na Síria com os da coligação liderada por Washington, disse esta quarta-feira o porta-voz do Ministério da Defesa russo.

“O Ministério da Defesa russo respondeu aos pedidos do Pentágono e está a examinar em profundidade as propostas norte-americanas para as operações de coordenação (…) contra o grupo terrorista estado islâmico em território sírio”, disse Igor Konashenkov, citado pela agência oficial russa.

“No geral, estas propostas podem ser implementadas”, acrescentou.

Esta quarta-feira, aviões de guerra russos  voltaram a fazer "intensos" ataques a duas províncias sírias, atingindo pelo menos quatro localizações na província central de Hama e três localizações na província de Idlib, no noroeste do país, de acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.  As duas províncias já tinham sido fortemente atingidas por ataques russos na semana passada, com Moscovo a afirmar que o alvo era o grupo estado islâmico.

A organização não tinha ainda dados relativos a vítimas do ataque, que aconteceu durante a noite e de madrugada, e que classificou como "mais intenso do que o habitual".

Os rebeldes sírios e os seus apoiantes acusam a Rússia de atingir várias forças da oposição, incluindo grupos moderados, e não apenas o autoproclamado estado islâmico.