O Senado dos Estados Unidos aprovou, esta quarta-feira, a reforma que reduz os poderes à Agência de Segurança Nacional (NSA), incluindo o da recolha de dados telefónicos autorizado após os atentados de 11 de setembro.

A reforma, batizada de Lei da Liberdade dos Estados Unidos, tem como objetivo limitar à NSA a recolha de metadados telefónicos (hora, duração, número), a mais contestadas das medidas de vigilância impostas no âmbito da Lei Patriota.

Já adotada pela Câmara dos Representantes, a lei deve agora ser assinada pelo Presidente norte-americano, Barack Obama.

A NSA parou totalmente a recolha de metadados às 00:01 de segunda-feira.

Barack Obama já reagiu à decisão do Senado e, a partir do seu Twitter oficial, já disse que vai promulgar a lei “assim que a receber”.
   

“Estou feliz que o Senado tenha finalmente aprovado a Lei da Liberdade dos EUA. Vai proteger liberdades civis e a nossa segurança nacional. Vou promulgar [a lei] assim que a receber”.