Notícia atualizada às 9:43

Os republicanos conquistaram a maioria no Senado dos Estados Unidos, nas eleições intercalares realizadas esta terça-feira, de acordo com as projeções avançadas pelas televisões norte-americanas.

Infligindo um duro golpe aos democratas, os republicanos passam a deter pelo menos 51 dos 100 assentos do Senado, continuando a manter o controlo da Câmara dos Representantes, selando assim o seu domínio sobre o Congresso norte-americano.

Além de terem tomado o controlo do Congresso, os republicanos também arrasaram, esta terça-feira, nas eleições para renovar os cargos de governador em 36 estados, com vitórias inesperadas em estados tradicionalmente democratas como Maryland ou Massachusetts.

Dos 36 governadores que se elegiam nas intercalares de terça-feira, 22 encontravam-se em estados dirigidos atualmente por republicanos, enquanto os restantes 14 estavam nas mãos dos democratas, que esperavam marcar pontos neste campo face à previsível perda do controlo do Senado.

Dois governadores republicanos que são potenciais aspirantes às presidenciais de 2016 conquistaram vitórias: o do Wisconsin, Scott Walker, e o de Ohio, John Kasich.

Entretanto, o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, convidou os líderes de ambas as câmaras do Congresso para uma reunião na próxima sexta-feira, três dias depois das eleições intercalares, informou hoje fonte da Casa Branca.

«O Presidente convidou os líderes de ambos os partidos de ambas as câmaras do Congresso para uma reunião na Casa Branca na sexta-feira à tarde», disse aos jornalistas um funcionário que pediu anonimato.

Senadores republicanos reeleitos
Os senadores republicanos pelos Estados do Kentucky e Carolina do Sul, Mitch McConnell, atual líder da minoria no Senado, e Lindsay Graham, respetivamente, foram reeleitos. McConnell derrotou o rival democrata Alison Grimes e Graham também venceu o democrata Brad Hutto.
 
Também o governador republicano Rick Scott foi reeleito na Florida, com uma vantagem de 1% sobre o democrata Charlie Crist.
 
O democrata Jerry Brown entrou para a História ao transformar-se no primeiro governador da Califórnia ao ser reeleito para um quarto mandato.
 
Brown conquistou o apoio de 57% do eleitorado, contra 43% do seu rival, o republicano Neel Kashkari. Brown, de 76 anos, foi governador entre janeiro de 1975 e janeiro de 1983 e foi reeleito novamente em 2010 para um terceiro mandato.
 
Estados conquistados
Os candidatos republicanos necessitavam de seis estados para fazer pender a balança no Senado e conseguiram, tendo ganho lugares anteriormente pertencentes aos democratas.
 
Os estados conquistados foram: Carolina do Norte, Colorado, Iowa, Virgínia ocidental, Arkansas, Montana e Dakota do sul. É a primeira vez desde 2006 que os republicanos ganham a maioria no Senado, ganhando força para as presidenciais de 2016.
 
Os republicanos conquistaram três assentos no Senado dos Estados Unidos quando a votação ainda ia a meio, derrotando os democratas no Arkansas, Dakota do Sul e Virgínia Ocidental.
 
Cory Gardner derrotou o senador democrata Mark Udall, pelo Colorado.
 
Eleito primeiro senador negro do sul
Os norte-americanos da Carolina do Sul (sudeste) elegeram um senador afro-americano para o Senado, o primeiro do sul do país desde o fim da guerra de Secessão, no final dos anos 1870.
 
Tim Scott, um republicano de 49 anos, obteve a vitória histórica neste estado, onde teve início, em 1861, a guerra da Secessão. Scott já exercia, contudo, desde janeiro de 2013, o cargo de senador, mas em substituição do seu antecessor demissionário, pelo que não tinha sido escolhido nas urnas.
 
Segundo as projeções das televisões norte-americanas, trata-se do primeiro senador afro-americano depois do período dito de reconstrução que terminou em 1877 com a retirada do sul das tropas federais dos Estados Unidos.