O Museu Nacional de História dos Estados Unidos encontrou num relógio de Abraham Lincoln uma mensagem «secreta», inscrita por um relojoeiro e que o próprio presidente norte-americano desconhecia, escreve a Lusa.

Jonathan Dillon, que em 1861 reparou o relógio de Lincoln, gravou nele uma mensagem quando as notícias sobre o ataque ao Forte Sumter chegaram à capital, no início da Guerra Civil, informou o Museu num comunicado.

«Os rebeldes atacaram o Forte Sumter» e «Graças a Deus temos um governo» são algumas das frases da inscrição feita no relógio a 13 de Abril de 1861, um dia depois do assalto ao forte.

Segundo o director do Museu, Brent D. Glass, «Lincoln nunca soube da mensagem que levava no bolso».

Parte metálica interior

Numa entrevista ao «The New York Times» em 30 de abril de 1906, Dillon, então com 84 anos, contou que, quando reparava o relógio de ouro de Lincoln, chegaram as notícias de que a Guerra Civil tinha começado.

Por esse motivo, Dillon decidiu escrever na parte metálica interior do relógio a seguinte frase: «A primera arma foi disparada. A escravatura morreu. Graças a Deus temos um presidente que, pelo menos, tentará consegui-lo».

A frase, tal como o relojoeiro a reproduziu na entrevista, é ligeiramente diferente da inscrição encontrada pelo museu, que decidiu abrir o relógio depois de contactar o tetraneto de Dillon.

Lincoln foi eleito prsidente dos Estados Unidos em Novembro de 1860, apenas alguns meses antes de eclodir a Guerra Civil.