Uma mulher na Florida, EUA, encomendou uma pizza e provavelmente salvou quatro vidas. Cheryl Treadway foi feita refém pelo namorado sob ameaça de uma faca, juntamente com os três filhos, na terça-feira à tarde, mas conseguiu convencê-lo a deixá-la utilizar um telemóvel para encomendar online uma pizza.
 

"Na secção de comentários, havia uma mensagem a pedir que enviassem ajuda e chamassem o 911 [112 em Portugal] porque tinham sido feitos reféns", afirmou o xerife do condado de Highlands, num comunicado citado pela CNN.


Quando o pedido de Treadway deu entrada, os funcionários da Pizza Hut sabiam de quem se tratava porque é uma cliente frequente. A mensagem causou alarme.

"Nós nunca vimos nada assim antes", disse à CNN a gerente do restaurante Candy Hamilton. "Eu estou aqui há 28 anos e nunca, nunca vi nada como isto acontecer”, acrescentou.


A cadeia de restaurantes enviou as autoridades a casa de Cheryl Treadway, onde ela as recebeu e cumprimentou com uma criança ao colo.

"Ela contou aos agentes que o namorado, Ethan Nickerson, estava dentro de casa armado com uma faca e que os outros dois filhos também estavam em casa com ele", referiram as autoridades.


Depois de colocarem Cheryl Treadway e a criança em segurança, os polícias persuadiram Nickerson a sair de casa de forma pacífica. Após alguma resistência, o homem saiu 20 minutos mais tarde, e as outras crianças foram retiradas de casa ilesas.

O relatório policial revela que o casal tinha passado o dia a discutir, com o suspeito supostamente armado com uma faca grande. Cheryl Treadway tentou sair para ir buscar os filhos à escola, mas o suspeito não a deixou ir sozinha e, em vez disso, foi com ela. Quando regressaram a casa, ela pediu-lhe para a deixar encomendar uma pizza. Assim que ela concluiu o pedido, ele tirou-lhe o telemóvel.
 

"Eu não sei se alguma vez teria pensado nisso. Quero dizer, é algo que ela fez tão naturalmente", afirmou à CNN o tenente Curtis Ludden. "O namorado nunca percebeu até que nos viu chegar ao virar da esquina", explicou.

 
Ethan Nickerson, de 26 anos, foi acusado de agressão agravada com uma arma, cárcere privado e obstrução à justiça.