Julian Hernandez, o jovem que desapareceu há 13 anos, de Birmingham, Alabama, nos EUA, foi encontrado, esta segunda-feira, porque descobriu que tinha sido raptado. De acordo com a polícia norte-americana, terá sido o próprio jovem a dar o alerta.

Segundo o Inside, a denúncia que indicava que o agora adolescente poderia ser o menino que tinha desaparecido em Alabama, foi feita pelo próprio Julian Hernandez. O jovem apercebeu-se que algo de estranho se passava com o número de Segurança Social, quando estava a tentar candidatar-se para a faculdade. Com a ajuda dos professores, descobriu que estava na lista de crianças do Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas.
 

“Aplaudimos o Julian pela coragem de ter dado o primeiro passo para encontrar respostas sobre quem é”, declarou a organização, num comunicado citado pelo The Independent.


A polícia acrescentou ainda que o jovem não sabia que tinha sido raptado, em 2002, pelo próprio pai.

Bobby Hernandez foi preso, na segunda-feira, e aguarda julgamento, por forjar documentos para obter um cartão de identificação, em Ohio. A polícia de Vestavia Hills disse, no entanto, que o homem não deve ser acusado de rapto, mas de interferência na custódia do rapaz.

Segundo o The Independent, quando as autoridades contactaram a mãe do jovem para contar que tinham encontrado o filho, a mulher não quis acreditar, uma vez que já se tinha desiludido inúmeras vezes com pistas falsas, no passado.
 

“Quando ela percebeu finalmente que era ele, ficou muito entusiasmada”, afirmou o agente Johnny Evans, ao Washington Post.


No comunicado do Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas pode ler-se que este caso serve para relembrar “a todos os pais e entes-queridos que ainda estão à procura de uma criança desaparecida, para nunca perderem esperança, independentemente do tempo… há milhares de crianças que ainda precisam de voltar para casa e Julian representa um exemplo de esperança para essas famílias”.