O rapaz que foi encontrado esta semana após 13 anos desaparecido, falou pela primeira vez desde que reapareceu. Agora com 18 anos, Julian Tiberius Hernandez tinha cinco anos, em agosto de 2002, quando desapareceu, em Birmingham, Alabama, nos EUA.

"Neste momento, só quero ser normal", disse Julian, em comunicado divulgado pelo FBI e citado pela CNN. "Quero seguir com a minha vida como fazia antes desta semana, sendo apenas um normal rapaz de 18 anos", sublinhou.

"Tenho objetivos que são difíceis de conseguir, por isso, uma vez mais, respeitem o meu pedido de privacidade", lê-se, ainda, no comunicado. "Só quero que me deixem em paz", acrescentou.


Julian esteve desaparecido até domingo e foi descoberto quando tentou candidatar-se à universidade. A mãe já fez saber que está "em êxtase”.

Julian Hernandez estava sob a custódia legal da mãe quando desapareceu, a 28 de agosto de 2002. De acordo com o Departamento de Polícia de Vestavia Hills, do estado de Alabama, suspeitava-se que Bobby Hernandez, o pai de Julian, o tinha raptado.

O pai de Julian tem remorsos, afirma Ralph DeFranco, o advogado de Bobby Hernandez, que foi detido segunda-feira evai ser julgado por rapto.

"Tem sido um bom pai", disse o advogado de Bobby Hernandez. "Todos sabem que ama o filho. Todos os vizinhos dizem muito bem dele", acrescentou Ralph DeFranco.