após 13 anos desaparecido

"Neste momento, só quero ser normal", disse Julian, em comunicado divulgado pelo FBI e citado pela CNN. "Quero seguir com a minha vida como fazia antes desta semana, sendo apenas um normal rapaz de 18 anos", sublinhou.

"Tenho objetivos que são difíceis de conseguir, por isso, uma vez mais, respeitem o meu pedido de privacidade", lê-se, ainda, no comunicado. "Só quero que me deixem em paz", acrescentou.

Julian esteve desaparecido até domingo e foi descoberto quando tentou candidatar-se à universidade. A mãe já fez saber que está "em êxtase”.

Julian Hernandez estava sob a custódia legal da mãe quando desapareceu, a 28 de agosto de 2002. De acordo com o Departamento de Polícia de Vestavia Hills, do estado de Alabama, suspeitava-se que Bobby Hernandez, o pai de Julian, o tinha raptado.

O pai de Julian tem remorsos, afirma Ralph DeFranco, o advogado de Bobby Hernandez, que foi detido segunda-feira evai ser julgado por rapto.

"Tem sido um bom pai", disse o advogado de Bobby Hernandez. "Todos sabem que ama o filho. Todos os vizinhos dizem muito bem dele", acrescentou Ralph DeFranco.