Depois de 20 dias de caça ao homem intensiva, as autoridades norte-americanas mataram um dos dois assassinos que escaparam da prisão estadual de Clinton, em Nova Iorque.

Richard Matt foi abatido a tiro por agentes federais junto ao lago Titus, uma zona remota do norte dos Estados Unidos, já muito perto da fronteira com o Canadá.

Segundo as autoridades, Matt disparou contra o condutor de uma autocaravana, que, em seguida, chamou a Polícia. Quando os agentes chegaram, deu-se uma troca de tiros entre eles e o evadido, que terminou com a morte de Richard Matt.

O outro prisioneiro em fuga, David Sweat, de 35 anos, estava aparentemente no local, mas conseguiu escapar. As autoridades estão agora a persegui-lo e há relatos de que terão disparado também contra ele.

Os dois homens estavam a cumprir penas muito pesadas: Matt tinha sido condenado a 25 anos de prisão por ter morto e desmembrado o seu patrão, enquanto Sweat tinha recebido uma pena de prisão perpétua pelo assassínio de um polícia.

Os prisioneiros conseguiram fugir graças a um plano muito elaborado, que envolveu o uso de várias ferramentas elétricas e a abertura de buracos em paredes e numa conduta de aquecimento. Tudo indica que isto só foi possível graças à ajuda de funcionários prisionais, e dois foram mesmo acusados de cumplicidade na fuga.