O Parlamento do Iraque aceitou esta segunda-feira a maioria dos ministros propostos pelo chefe do governo, Haidar al Abadi, na mesma altura em que os Estados Unidos ampliam a ofensiva militar contra os extremistas.

Na mesma sessão parlamentar os deputados elegeram os vice-presidentes do país, entre os quais se destaca o ex-chefe do Executivo, o xiita Nuri al Maliki, que após fortes pressões políticas acabou por ceder o cargo a Al Abadi, designado pelo presidente Fuad Masum.

O Governo agora aprovado pelo Parlamento integra representantes das várias correntes políticas iraquianas, no sentido de pôr um fim à crise.

EUA saúdam novo Governo iraquiano

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o secretário de Estado, John Kerry, saudaram a formação do novo Governo iraquiano e pediram medidas «rápidas» para a unidade do país e combate à organização Estado Islâmico.

Barack Obama telefonou ao chefe do Governo iraquiano, Haidar al Abadi, para o felicitar pela aprovação do seu executivo e ambos «convergiram na importância de o novo executivo tomar rapidamente passos concretos para afrontar as aspirações e as queixas legítimas do povo iraquiano», informou a Casa Branca.

John Kerry saudou o que disse ser «inquestionavelmente um enorme feito para o Iraque», afirmando que para o presidente norte-americano a formação do Governo iraquiano é «um pilar» da estratégia para derrotar o autodesignado Estado Islâmico.