Os comentários sexistas de Trump num vídeo de 2005 divulgado na semana passada já suscitaram os mais diversos comentários, incluindo o da mulher do candidato, Melania Trump, e o assunto dominou mesmo o segundo debate com Hillary Clinton.

Agora, a reprovação veio da própria Casa Branca, com Obama a dizer que a atitude de Trump “não seria tolerável” nem para trabalhar na 7-Eleven, uma cadeia de supermercados.

Não precisamos de ser maridos ou pais para ouvir o que ouvimos, há apenas uns dias, e dizer que aquilo não está certo”, afirmou. “Só precisamos de ser um ser humano decente para saber que não está certo."

Durante uma conferência na Carolina do Norte, Barack Obama apelou ainda a que faça algo para que Trump não chegue a Presidente dos Estados Unidos.

Não é alguém que queiramos ter como representante dos Estados Unidos da América.”

As críticas de Obama não se dirigiram apenas a Donald Trump, mas a todos os republicanos que criticaram os comentários sexistas do candidato, mas que continuaram a apoiar a sua candidatura.

Isso não faz sentido para mim”, apontou. “Não podemos denunciar as palavras de alguém e depois dizer que, ainda assim, o vamos apoiar para ser a pessoa mais poderosa do mundo.”