O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, defendeu hoje que a Internet deve ser um serviço público e rejeitou a criação de canais prioritários e mais rápidos, numa mensagem enviada na segunda-feira à Comissão Federal de Comunicações.

Barack Obama quer um sistema regulador do fornecimento de Internet em nome da «neutralidade da rede» e para evitar que existam sistemas diferentes de acesso, um mais rápido do que outro, consoante o pagamento de cada utilizador.

O presidente norte-americano defende que a Comissão Federal de Comunicações «implemente regras, o mais fortes possível, para proteger a neutralidade da rede».