Um homem abriu fogo, este domingo, junto à sede da polícia de Baton Rouge, no estado norte-americano no Luisiana, atingindo vários polícias. Seis agentes foram atingidos e três morreram. A informação foi avançada à televisão pelo presidente da câmara local. Recorde-se que, recentemente, foi abatido um afro-americano nesta cidade, o que provocou uma onda de revolta nos Estados Unidos. 

"Ainda estamos a tentar confirmar toda ocorrência. A situação ainda está em curso", disse o presidente da câmara, Parish Kip Holden 

O departamento do Xerife também confirmou, poucos minutos depois, que "vários" agentes foram atingidos. Acrescentando que um dos suspeitos do incidente foi abatido e que outros dois estariam em fuga.

Em relação aos polícias feridos, avança a agência Reuters, um está em estado grave e outro não corre perigo de vida. Um terceiro elemento das forças de segurança está em estado crítico, com suporte artificial de vida.

Um testemunho recolhido pela televisão local WBRZ-TV disse ter visto um homem vestido de negro e encapuzado a disparar numa zona em que existe uma loja de conveniência e uma lavagem automática.

 

A polícia respondeu de imediato e cortou algumas vias. 

"Estamos a tentar chegar a todos os lados. Está tudo a acontecer muito depressa e não conseguimos confirmar todas as informações", acrescentou o mayor. 

Na zona onde foi abatido um dos suspeitos de envolvimento no tiroteio, perto de uma loja, as autoridades procuraram explosivos, mas até ao momento nada terá sido encontrado.

Durante uma conferência de imprensa, horas depois do tiroteio, a polícia acabou por identificar o suspeito abatido pelas autoridades como Gavin Eugene Long, de Kansas City, sem avançar mais pormenores.

Cinco polícias mortos em Dallas há poucos dias

Um militar norte-americano na reserva matou cinco polícias e feriu sete há pouco mais de uma semana, em Dallas. O homem de 25 anos manejava uma arma de fogo enquanto dizia à polícia que queria “matar brancos, em especial agentes policiais”. Johnson foi morto por uma bomba armadilhada pela polícia e transportada por um robô.

Barack Obama marcou presença nas cerimónias fúnebres dos cinco agentes e deixou um apelo:

"Eles merecem o nosso respeito e não o nosso desprezo"