Um funcionário de uma companhia aérea realizou na sexta-feira uma "descolagem não autorizada" a bordo de um avião vazio da Horizon Air e despenhou-se ao deixar o aeroporto de Seattle, nos Estados Unidos, anunciaram as autoridades aeroportuárias.

De acordo com a agência Associated Press (AP), as autoridades norte-americanas já descartaram qualquer ligação terrorista, afirmando que se tratou de suicídio. Não havia passageiros a bordo.

Testemunhas relataram que o avião, um Bombardier Q400, foi perseguido por aviões militares, antes de se despenhar no estreito de Puget, provocando a morte do homem de 29 anos.

A administração do Sea-Tac Airport, em Seattle, afirmou que as operações no aeroporto já haviam retomado.