Um rapaz de 19 anos, estudante na Universidade Central do Michigan, nos Estados Unidos, é suspeito de ter morto os pais a tiro. O tiroteio aconteceu na passada sexta-feira durante uma zanga familiar, na residência da universidade onde estudava. Na caça ao homem participaram mais de 100 agentes alguns fortemente armados, segundo a Reuters.

O jovem fugiu do local, tendo obrigado a polícia a bloquear o campus da universidade, que tem mais de 20 mil estudantes, e a avisar os residentes de Mount Pleasant para se manterem alerta. O aparato policial envolveu ainda helicópteros e carros que passaram a pente fino o campus da universidade e a área envolvente.

James Eric Davis Jr., que não tinha antecedentes, foi apanhado pelas autoridades pouco depois da meia noite. As vítimas são James Davis Sr., ex-polícia, e Diva Davis, ambos de 47 anos, encontrados na residência da universidade. 

Foi um incidente isolado, mas tivemos duas pessoas mortas nas instalações da universidade. É traumático.", diz o governador do Michigan, Rick Snyder.

Na noite de quinta-feira o jovem tinha sido levado para um hospital local, devido a uma overdose ou a uma possível má reação a drogas.

As aulas de sábado na universidade foram canceladas. 

Este incidente aconteceu duas semanas após um jovem da mesma idade ter provocado o terror no escola secundária da Florida, também nos Estados Unidos, matando a tiro 17 pessoas, entre estudantes e professores.

Sobre o massacre da Florida, o presidente Donald Trump apontou como solução, a intenção de dar armas aos professores, dizendo que a medida abrangeria docentes com “treino especial” e “solucionaria o problema instantaneamente.”