O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, falaram hoje ao telefone, concordando que os avanços dos extremistas sunitas no Iraque figuram como uma «grave ameaça».

Durante a conversa telefónica, o vice-presidente norte-americano sublinhou que os Estados Unidos «deploram» as ações dos rebeldes sunitas do Estado Islâmico no Iraque e do Levante (EIIL) e voltou a pedir a libertação imediata dos reféns turcos, incluindo o pessoal diplomático e civis capturados pelos extremistas, informou a Casa Branca em comunicado.

O primeiro-ministro turco, por seu lado, reiterou que a sua prioridade passa por resgatar os 80 cidadãos turcos - incluindo 49 funcionários do consulado de Mossul - sequestrados na passada quarta-feira.