Um cargueiro da empresa Maersk com pavilhão das ilhas Marshall foi interceptado pelas autoridades iranianas no Golfo de Oman e acompanhado depois até ao porto iraniano de Bandar Abbas, segundo a televisão saudita Al-Arabiya citada pela Reuters.

Pelo menos cinco navios iranianos ordenaram ao Maersk Tigris, que não tinha cidadãos norte-americanos a bordo, que se dirigisse para a ilha iraniana de Larak, indicou a mesma fonte, precisando que os Estados Unidos estão a acompanhar de perto a situação.

O capitão do cargueiro “rejeitou” a ordem e um dos navios iranianos “disparou tiros” de advertência sobre a proa do Maersk Tigris, disse o porta-voz do Pentágono, coronel Steven Warren.

O canal de televisão começou por dizer que se tratava de um navio americano, mas os Estados Unidos já desmentiram a notícia. O Pentágono, por seu turno, adianta que as autoridades iranianas abriram fogo sobre um vaso de guerra de bandeira islandesa, o MV Maersk Tigris. Os serviços de segurança americanos acrescentam que não havia cidadãos americanos a bordo do barco agora em águas iranianas.

O Irão já por várias vezes ameaçou fechar o estreito entre Oman e o Irão que, apesar deste constituir uma rota do petróleo importante.