Ficha de Frank Freshwaters na polícia em 1959 (Reprodução)

Agora, 56 anos depois a polícia foi bater-lhe à porta. Hoje conhecido pelo nome de William Cox, respondeu desta forma aos agentes da polícia que lhe mostraram uma fotografia dele próprio quando tinha 21 anos: “Há muito tempo que eu não vejo esse homem”, respondeu William Cox, pouco antes de confessar a verdadeira identidade.

 

Frank Freshwaters tem desfrutado de uma reforma tranquila em Melbourne, na Florida, a quase 1.500 quilómetros de distância do local onde ocorreu o atropelamento. Apreciado pelos vizinhos, Shirl Cheetham, uma amiga de Freshwaters, descreve-o como "o mais amigável dos homens." Freshwaters foi até padrinho de casamento de Shirl Cheetham e os filhos dela chamam-lhe "avô Will."

 

O fugitivo participa em atividades da Igreja Comunitária de West Melbourne e ofereceu-se para dedicar parte do seu tempo a ajudar os pobres.

 

Os que lhe são próximos não entendem que esta dedicação de Frank Freshwaters à comunidade não seja tida em conta pela polícia.

 

"Este é o nosso trabalho, pediram-nos para apanhar a pessoa e apresentá-la à justiça. Temos obrigação de o fazer", responde Elliot Marshall, responsável policial pelo caso.