A ex-secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton conseguiu na segunda-feira o número de delegados necessários para ser confirmada como candidata do Partido Democrata nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, segundo uma contagem de diversos 'media'.

Depois da vitória no domingo em Porto Rico contra o senador Bernie Sanders e com os novos apoios dos “superdelegados” (que têm a liberdade de apoiar quem quiserem) arrecadados nos últimos dias, Hillary Clinton conseguiu ao todo 1.812 delegados e 572 superdelegados, um total de 2.384.

Esta segunda-feira, após num comício na Califórnia, Hillary Clinton congratulou-se com o facto da nomeação ser quase certa.

“Estamos à beira de um momento histórico e sem precedentes. Mas ainda temos trabalho pela frente, não é? Temos seis eleições amanhã e vamos lutar com força por todos os votos, especialmente aqui”.

Caso a nomeação se verifique, Hillary Clinton será a primeira mulher na história dos Estados Unidos a representar um dos dois grandes partidos nas eleições presidenciais.

Sanders contesta 

O aspirante a candidato democrata nas presidenciais dos EUA Bernie Sanders disse que a sua adversária, Hillary Clinton, ainda não conseguiu a nomeação, vincando que os ‘superdelegados’ só votam na convenção nacional do partido, em julho.

É lamentável que os meios de comunicação social, num julgamento precipitado, estejam a ignorar a declaração clara do Comité Nacional Democrata de que é errado contar os votos dos ‘superdelegados’ antes de eles realmente votarem na convenção deste verão", disse em comunicado Michael Briggs, porta-voz de Bernie Sanders.

Esta terça-feira acontece uma nova ronda de primárias do Partido Democrata, desta vez nos estados da Califórnia, Dakota do Norte, Dakota do Sul, Montana, Nova Jérsia e Novo México. 

Segundo a CNN, a Casa Branca deu indícios de que Obama deverá tornar público o seu apoio a Clinton a partir desta terça-feira, após as primárias nos seis estados.