«Aqui promove-se o ódio», escreve no seu relato «Diário de Guantánamo»