O furação Harvey, que na sexta-feira atingiu a categoria 4 de uma escala de 5, fez dois mortos e provocou inundações catastróficas na quarta maior cidade dos Estados Unidos, Houston. O número de vítimas mortais deverá, no entanto, subir, preveem as autoridades.

As graves inundações provocadas pelo furacão, que agora se transformou em tempestade tropical, levaram no domingo centenas de pessoas a procurar refúgio nos telhados das casas e a que fossem multiplicados os pedidos de ajuda.

A chuva intensa transformou as ruas em rios navegáveis apenas por barco e levou a comparações com o cenário vivido no país em agosto de 2005 com o furacão Katrina.

A tempestade tropical perdeu já intensidade, mas isso não fez baixar o risco de cheias. Voluntários têm-se juntado às equipas de emergência para retirarem pessoas das casas ou da água

Os dois principais aeroportos de Houston foram fechados ao tráfego comercial e um dos maiores hospitais públicos teve de ser evacuado.

O furacão fez voar telhados, arrancou árvores e postes de eletricidade. Há mais de 230 mil pessoas afetadas pelo corte de energia elétrica, sobretudo na cidade de Houston, a quarta maior dos Estados Unidos.

O presidente Donald Trump assinou já uma declaração de catástrofe natural para o Texas, o que vai permitir o recurso a meios federais para atenuar os efeitos da tempestade que se calcula estar a afetar diretamente seis milhões de pessoas, assim como estruturas ligadas ao tratamento de petróleo, com uma consequente subida dos preços dos combustíveis.

As graves inundações provocadas pela agora tempestade tropical Harvey nas refinarias do Texas podem ter consequências extensas a longo prazo para a indústria local do petróleo e do gás e da própria economia norte-americana.

Com grande parte da capital do Texas, Houston, debaixo de água e com previsões de agravamento da situação, devido às fortes chuvas esperadas para os próximos dias, é ainda desconhecida a extensão dos prejuízos, mas a agência noticiosa AP já escreve serem previsíveis grandes perdas.

As principais instalações de petróleo e gás ao longo da costa do golfo do Texas fecharam temporariamente e as inundações nas áreas de Houston e Beaumont podem afetar seriamente o armazenamento e o transporte de gasolina.