O grupo extremista Estado Islâmico (EI) perdeu, nos últimos meses, dezenas de milhares de combatentes na Síria e no Iraque, segundo dados dos serviços secretos norte-americanos revelados, esta quinta-feira, pela Casa Branca.

Na sua conferência de imprensa diária, o porta-voz da presidência dos Estados Unidos, Josh Earnest, informou que os serviços de inteligência do país estimam que, atualmente, o EI tem entre 19.000 e 25.000 combatentes nesses dois países.

O mais recente relatório dos serviços de informação dos Estados Unidos apontava que existiam entre 20.000 e 31.500 efetivos, pelo que se trata de um declínio significativo, de acordo com os cálculos norte-americanos.

 

Veja também: 

Jihadista de vídeo do Estado Islâmico é filho de portugueses 

Google vai "enganar" potenciais jihadistas do Estado Islâmico