Um drone deixou cair um pacote com droga no átrio de um centro de reabilitação e correção norte-americano, quando utentes estavam no recreio, despoletando uma batalha campal.

A encomenda continha tabaco, marijuana e heroína, confirmou o Departamento de Reabilitação e Correção do Ohio ao jornal ao News Journal.

O incidente ocorreu no final de julho, quando os guardas foram obrigados a intervir numa luta entre os detidos. Nove deles foram castigados e colocados na solitária.

Mais tarde, as imagens das câmaras de vigilância mostraram a razão da briga: o drone que passou e despejou um embrulho.

Aquele centro de correção alberga 75 jovens numa das alas e 130 na outra.

Desde 2013 que o departamento de correção tem intensificado as buscas por telemóveis e aumentado o número de exames médicos para detetar o consumo de drogas.

O recurso a drones eleva para um outro nível a introdução de drogas nas prisões.

Os drones, inicialmente usados para fins militares, estão a ganhar terreno noutras áreas. Estes aparelhos podem ser comandados à distância ou fazer voos de forma automática, desde que programados por um GPS.

A Amazon, o gigante das compras online, já anunciou há muito o seu desejo de recorrer a drones para entregar as encomendas e chamou a atenção para a necessidade de criar um espaço aéreo comercial destinado a estes aparelhos.