Jovens deficientes profundos foram obrigados a bater-se entre si por pessoal de uma instituição estatal do Texas, especializada no seu tratamento, anunciou terça-feira a polícia local, escreve a Lusa.

Os combates à moda do filme «Fight club», que terão sido organizados durante pelo menos dois anos, foram descobertos pela polícia ao examinar vídeos contidos num telemóvel encontrado na rua.

Esquema organizado

«É um dos piores casos de maus-tratos de crianças que eu já vi em trinta anos», comentou um responsável da polícia de Corpus Christi, Tim Wilson. «Por vezes, vemos incidentes isolados. O que é terrível neste caso é que isto parecia organizado», acrescentou.

O vídeo mostra os empregados da escola estatal de Corpus Christi a provocar os jovens até eles se tornarem violentos, depois a empurrá-los uns contra os outros para que eles lutem entre si.

Os jovens deficientes mentais e psíquicos empurram-se, batem-se e pontapeiam-se até que um deles seja declarado «vencedor», de braço levantado, contou Wilson.

Funcionários identificados

Os jovens sofreram apenas ferimentos ligeiros e 11 funcionários da instituição foram identificados nos vídeos descobertos pela polícia a semana passada, precisou. Wilson disse que vão ser instaurados processos contra os funcionários desta instituição do Estado.

Este caso ocorre numa altura em que as autoridades texanas debatem uma reforma das instituições para deficientes geridas pelo Estado, depois das críticas do Ministério da Justiça norte-americana sobre violências recorrentes e violações repetidas dos direitos humanos.

Segunda-feira, foi aprovada uma lei de emergência para proteger os internos destas instituições contra os maus-tratos.