O Presidente de Cuba apelou a Barack Obama para usar as suas “faculdades executivas”, de modo a acabar com “aspetos” do bloqueio. Raúl Castro insiste que as relações bilaterais com os EUA não serão normalizadas enquanto persistir o embargo.

“Esperamos que [Obama] continue a usar das suas faculdades executivas, ou seja, aquelas que pode utilizar como Presidente sem interferência por parte do Congresso, para desmantelar aspetos desta política que causa danos e privações ao nosso povo”


Raúl Castro falava diante da Assembleia Nacional de Cuba.

54 anos depois de estarem com as relações cortadas, os dois países anunciaram o restabelecimento oficial das relações diplomáticas.

O Presidente cubano destacou que em 20 de julho termina a primeira fase do histórico processo que se iniciou em 17 de dezembro de 2014. Daí o apelo feito ao Presidente norte-americano. 

A 1 de julho, Obama anunciou a reabertura das embaixadas dos dois países a 1 de julho, mais um passo histórico no reatar das relações entre Havana e Washington. Mas, de facto, ainda resta eliminar o embargo económico, que está nas mãos do Congresso.