Cuba assinalou, no domingo, o aniversário da revolução de Fidel Castro, há 62 anos, com apelos para o fim do embargo norte-americano.

A cerimónia – com a presença do Presidente cubano Raul Castro e cerca de 10.000 membros da elite do país mas não de Fidel, de 88 anos – foi a primeira desde o restabelecimento das relações com os Estados Unidos.

“Agora começa um longo e complexo caminho para a normalização das relações bilaterais, que inclui, entre outras coisas, o fim do bloqueio e a devolução da base naval de Guantanamo”, disse Jose Ramon Machado Ventura, o número dois do Partido Comunista de Cuba.

A reabertura das embaixadas foi um momento histórico, após décadas de costas voltadas.