Uma mulher norte-americana foi condecorada, esta quarta-feira, pela polícia do Texas e da Califórnia, por ter conseguido salvar um bebé de uma mulher grávida envolvida num acidente de viação.

Iria Wolnick viu um carro acidentado numa autoestrada no Texas, no último verão, e decidiu parar para auxiliar as pessoas que seguiam na viatura: uma criança e duas jovens de 19 anos, uma delas grávida de oito meses.

Wolnick verificou que uma das jovens e a criança tinham apenas ferimentos ligeiros, já a grávida tinha um corte no abdómen por onde se conseguia ver uma mão e a cabeça do bebé por nascer.

A mulher, fisioterapeuta e sem qualquer tipo de treino médico, decidiu fazer uma «cesariana improvisada» e remover o bebé da barriga da mãe pela abertura do ferimento, acabando por lhe salvar a vida. Sorte que não teve a mãe da criança que acabou por falecer já no hospital.

Wolnick afirma que agiu por instinto e que apenas fez o que gostaria que fizessem por ela se estivesse na mesma situação.

«Se eu estivesse naquela situação, gostava que fizessem o mesmo por mim», afirmou Wolnick ao «Mercuryu News».

O tenente Jeremy Rowland, da patrulha de trânsito do Texas, descartou a modéstia da mulher e afirmou que Wolnick fez o que muito não fariam.

«Nos dias que correm muitas pessoas não parariam, pensando que isso é responsabilidade de outras pessoas (¿) [mas] se não fosse ela, duas pessoas teriam morrido naquela noite», afirmou o tenente.