As autoridades de Louisiana, nos Estados Unidos, estão a investigar a fuga de uma perigosa bactéria, por vezes por mortal, de um laboratório de alta segurança, de acordo com o jornal USA Today.

Segundo os responsáveis pelo centro de investigação, não há risco para o público, apesar de ainda não ter sido determinada a extensão da contaminação, após a falha de segurança no Tulane National Primate Research Center.

A bactéria em questão chama-se Burkholderia pseudomallei.

Primariamente encontrado no sudeste asiático e norte da Austrália, o micróbio pode infetar humanos e animais através do contacto com o solo e água contaminados, e está mesmo classificado como um potencial agente de bioterrorismo.

A fuga terá ocorrido em novembro, ou até antes, no centro, que estava a trabalhar no desenvolvimento de uma vacina contra esta bactéria.

As autoridades dizem que o organismo não foi detetado nas zonas exteriores das instalações do centro, mas que quatro macacos mantidos em celas ao ar livre ficaram doentes e dois foram submetidos a eutanásia, escreve o jornal.

Uma inspetora federal também adoeceu após visitar as instalações, apesar de não ser claro se esta foi exposta ao vírus previamente à visita ao centro, já que viajava com regularidade.

"Continua a não haver uma ameaça conhecida ao público", disse o centro, em comunicado, a 24 de fevereiro.