A procuradoria de Manhattan acusou de terrorismo Sayfullo Saipov, o suspeito do atentado em Nova Iorque que, na terça-feira, fez oito mortos e 12 feridos. Sayfullo Habibullaevic Saipov, de 29 anos, natural do Uzbequistão, foi acusado esta quarta-feira, anunciou o procurador nova-iorquino Joon H. Kim.

Segundo a acusação, Saipov confessou às autoridades que começou a planear o ataque há cerca de um ano, inspirado pelos vídeos do Estado Islâmico, especialmente por um vídeo em que aparece o líder do grupo terrorista, Al-Baghdadi. 

A acusação refere que Saipov recorreu a uma carrinha para "infligir o máximo de danos contra civis" e escolheu especificamente a data do Halloween "porque acreditava que assim estariam mais civis na rua".

Horas antes, em conferência de imprensa, John Miller, responsável da polícia de Nova Iorque em contraterrorismo, disse que o suspeito tinha planeado o ataque durante várias semanas e que tinha levado a cabo as mortes "em nome do Estado Islâmico". 

Sayfullo Saipov, de 29 anos, natural do Uzbequistão, chegou aos Estados Unidos em 2010, através do programa Lotaria de Vistos de Diversidade, ao abrigo do qual, todos os anos, cerca de 55.000 vistos são distribuídos por países onde a taxa de imigração para os Estados Unidos é baixa. Um programa que, agora, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quer acabar

O homem tinha carta de condução da Flórida, mas residência em Nova Jérsia. Segundo o jornal New York Times, trabalhou como motorista da Uber e já tinha sido detido uma vez por excesso de velocidade.

Entretanto, o FBI localizou um outro homem, também oriundo do Uzbequistão, que pode estar ligado ao ataque ou, pelo menos, ao principal suspeito.

Segundo a agência Reuters, o FBI revelou que quer interrogar Mukhammadzoir Kadirov, de 32 anos, mas não especificou se este homem é suspeito de envolvimento no ataque ou se tem alguma ligação a Saipov.