Se Donald Trump ordenar um ataque nuclear ilegal, a ordem não será executada. Quem o garante é o general reponsável pelo comando estratégio dos Estados Unidos.

“Penso que algumas pessoas acham que somos estúpidos. Nós não somos estúpidos, pensamos muito sobre estas coisas. Quando temos uma responsabilidade como esta, como não pensar nela?”, começou por dizer o responsável que depois explicou como funciona o processo.

“A forma como tudo se processa é simples: eu aconselho o Presidente, ele diz-me o que fazer. E se for ilegal (um ataque nuclear), advinhe o que acontece. Vou dizer-lhe que a ordem é ilegal”, admitiu John Hyten.