Atualizado às 13:31

O ex-consultor da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA Edward Snowden solicitou pedidos de asilo em 21 países. Entre eles, estão a Rússia, Islândia, Equador, Cuba, Venezuela, Brasil, Índia, China, Alemanha e França, indicou na segunda-feira o site WikiLeaks.

Esses pedidos foram feitos em nome de Snowden por Sarah Harrison, uma funcionária britânica do WikiLeaks, que acompanhou Snowden no dia 23 de junho na sua viagem de Hong Kong para Moscovo.

«Os pedidos foram submetidos a um responsável do consulado russo do aeroporto de Moscovo no final da noite» de segunda-feira, indica um comunicado divulgado no sítio de Internet da WikiLeaks.

Sabe-se, entretanto, que Snowden renunciou à ideia de pedir asilo na Rússia, anunciou Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin.

«Ele renunciou à sua intenção e ao pedido para ficar na Rússia», declarou Peskov aos jornalistas, acrescentando que esse passo se deveu ao facto de ele não concordar com as exigências do Presidente russo, Vladimir Putin.

Durante a sua visita a Moscovo o presidente da Venezuela, Nicólas Maduro defendeu que Snowden «merece a proteção do mundo», mas até ao momento nenhum país assumiu estar disposto a dar-lhe asilo.

O próprio Nicólas Maduro disse que ainda não tinha um pedido oficial por parte do ex-agente, apesar da Venezuela estar na lista de países que receberam o fax.

Veja a lista de países a quem foi pedido asilo, divulgada pela WikiLeaks, e saiba quem já negou asilo a Edward Snowden.



Rejeições definitivas

Finlândia

Índia

Polónia

Brasil

Pedidos devem ser feitos em pessoa ou em solo nacional dos respetivos países

Áustria

Equador

Noruega

Espanha

Venezuela mostrou disponibilidade em dar asilo.



Ainda não responderam

Bolívia, China, Cuba, França, Alemanha, Islândia, Itália, Irlanda, Holanda, Nicarágua, Suíça e Rússia.