A Alemanha convocou hoje o embaixador dos Estados Unidos em Berlim, devido às suspeitas de que Washington espiou o telemóvel da chanceler alemã, Angela Merkel, anunciou uma porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros alemão.

Merkel suspeita que EUA lhe espiam o telefone

O chefe da diplomacia alemã, Guido Westerwelle, vai reunir-se pessoalmente com o enviado norte-americano John B. Emerson, ao fim do dia, disse à agência noticiosa francesa AFP a porta-voz, numa iniciativa pouco habitual entre os dois aliados.

«É correto que o embaixador norte-americano foi convocado para uma reunião, esta tarde, com o ministro dos Negócios Estrangeiros Westerwelle. Nesta ocasião, a posição do Governo alemão vai ser claramente exposta», acrescentou a mesma porta-voz, confirmando informações divulgadas no jornal Der Spiegel.

John B. Emerson afirmou que Merkel manifestou irritação com a lentidão dos serviços americanos para responder às perguntas detalhados sobre o escândalo da NSA desde as primeiras revelações de Edward Snowden.

De acordo com o «The Guardian», a Casa Branca respondeu que os EUA «não estão nem irão vigiar» o telefone de Merkel, mas recusou-se a comentar se o mesmo foi vigiado no passado.

O caso vai ser discutido na conferência da EU em Bruxelas, esta tarde. François Hollande - que também confrontou Obama esta semana - tem insistido que a vigilância dos EUA tem de ser discutida na cimeira que, por coincidência, é dedicada, em grande parte, à economia «digital» na Europa.

O pedido francês teve pouco impacto, mas com os alemães a insistir publicamente que as atividades dos Serviços de Inteligência dos EUA na Europa têm de ser inseridos numa nova base legal.

«O governo federal [alemão], como aliado e parceiro dos EUA, espera no futuro uma base contratual clara para a atividade dos serviços e da sua cooperação», disse Merkel a Obama.