As autoridades afegãs libertaram esta quinta-feira 65 alegados combatentes talibãs da prisão militar de Bagram, apesar dos fortes protestos dos Estados Unidos que os consideram uma ameaça para a segurança do país, afirmaram responsáveis.

«Os 65 prisioneiros foram libertados e deixaram a prisão de Bagram esta manhã», disse à AFP Abdul Shukor Dadras, membro do comité encarregado de avaliar o estatuto das pessoas detidas nas prisões afegãs.

Cabul tinha afirmado a 09 de janeiro que 72 detidos da prisão de Bagram, localizada perto da capital afegã de Cabul, seriam libertados por falta de provas contra eles, o que motivou protestos de responsáveis norte-americanos.

Os Estados Unidos criticaram veementemente a libertação no Afeganistão de 65 alegados combatentes talibãs da prisão militar de Bragam, afirmando tratar-se de uma decisão «profundamente lamentável» que poderia levar a mais violência no país devastado pela guerra.

«O governo afegão é responsável pelos resultados da sua decisão», afirmou a embaixada dos Estados Unidos, citada pela AFP.

«Nós pedimos para que sejam feitos todos os esforços para garantir que os libertados não cometem novos atos de violência e terror», acrescentou.