Num arquipélago que acolhe seis mil norte-americanos, cerca de 25 por cento já votaram para as presidenciais de terça-feira, uma afluência estimada que surpreendeu até a própria representante diplomática na região autónoma dos Açores, escreve a Lusa.

«Provavelmente, 25 por cento dos seis mil americanos que vivem nos Açores já votaram, o que é realmente bastante», afirmou à agência Lusa a cônsul dos EUA em Ponta Delgada, Jean Manes, que admitiu que a percentagem poderá ser mais elevada, já que, em alguns estados, os eleitores podem votar directamente pela Internet.

Para a representante dos EUA nos Açores, o nível de interesse que as eleições presidenciais de terça-feira estão a gerar entre a comunidade norte-americana que vive nas ilhas é «incrível», alegando que, diariamente, o consulado recebe chamadas para esclarecer dúvidas sobre o processo eleitoral.

Bush apelou ao voto nas eleições de terça-feira

Especial eleições nos EUA: siga tudo aqui

«Visitámos as nove ilhas açorianas para fazer o registo dos eleitores e o nível de interesse pelas eleições é muito grande. Todos os dias recebemos chamadas no consulado para esclarecer dúvidas», disse Jean Manes, que confessou nunca ter visto este nível de interesse em actos eleitorais passados.

Admitindo que o interesse pela escolha do próximo Presidente norte-americano atingiu uma dimensão mundial, Jean Manes considerou que este fenómeno se justifica pela existência de uma crise económica, a guerra no Iraque e Afeganistão e por muitas pessoas já se terem apercebido da importância destas eleições para o futuro do mundo.

Dos seis mil cidadãos norte-americanos que escolheram as ilhas açorianas para viver, dois mil residem em permanência no interior da Base das Lajes, na ilha Terceira, onde os EUA mantêm há vários anos um destacamento militar.