O piloto de um voo da Etihad Airways com partida de Manchester, Inglaterra, com destino à Austrália abortou a descolagem e regressou ao portão de embarque para deixar sair um casal, que recebeu a notícia de que o seu neto tinha sido internado nos cuidados intensivos e corria risco de vida.

A situação aconteceu no dia 30 de março, e a criança acabou por morrer no dia seguinte, altura em que os avós do menino deviam estar a aterrar na Austrália. Não fosse a ação do piloto e o casal não teria conseguido ver o neto uma última vez.

O avião preparava-se para descolar quando o casal recebeu uma mensagem do pai do menino a pedir que se dirigissem ao hospital, onde a criança tinha acabado de ser internada.

Como escreve o The Independent, os avós alertaram a tripulação de cabine, que por sua vez informou o piloto da situação. Este último decidiu regressar ao portão de embarque, onde o casal desceu do avião.

Funcionários do aeroporto retiraram as bagagens do avião e encarregaram-se de recolher o carro do parque de estacionamento do aeroporto.

A funcionária da agência de viagens onde os avós da criança compraram o bilhete de avião deixou uma mensagem de agradecimento ao piloto, tripulação e companhia aérea no Facebook pelo gesto que tiveram para com os seus clientes.

Se não os tivessem deixado sair do avião, e tivessem de regressar a partir de Abu Dhabi – onde o avião fazia escala antes de seguir para a Austrália – não teriam chegado a tempo ao hospital”, escreveu Becky Stephensen.

O casal vai, ainda, poder usar os bilhetes da viagem numa outra altura à sua escolha.