Um estudo realizado por investigadores da Universidade de Austin, no Texas, revela que os homens se sentem mais atraídos pela curvatura lombar do que pelas nádegas das mulheres. 

Segundo a investigação, as preferências masculinas recaem sobre «um ângulo perfeito de curvatura vertebral, de exatamente 45,5 graus sobre as nádegas».

A inesperada preferência tem explicação na pré-história. David Lewis, coordenador da investigação, garante que naquela época as mulheres com «esta curvatura vertebral eram mais eficazes na busca de alimentos durante a gravidez e estavam menos expostas a lesões de coluna. Além disso, os homens que preferiam mulheres com esta característica tiveram companheiras em melhores condições de alimentar e cuidar dos filhos e mais capazes de suportar várias gravidezes sem sofrer lesões».

David Buss, coautor do estudo, considera que esta é a prova de que «a beleza não é totalmente arbitrária nem está aos olhos de quem observa, mas tem pelo contrário uma lógica de adaptação coerente».

As mulheres com uma curvatura vertebral maior parecem ter nádegas mais salientes. Mas mesmo nessas condições o estudo garante que os homens continuam a preferir a curvatura vertebral do que as nádegas.

«Concluímos que os homens preferem as mulheres mais pelo ângulo de curvatura vertebral do que propriamente pelo tamanho das nádegas», assegura Eric Russel, um dos investigadores que também participou no estudo.

David Lewis conclui que este «ajuste entre a evolução e a psicologia humana moderna destaca a utilidade da biologia na hora de aumentar o conhecimento sobre as ciências sociais e comportamentais».