Cientistas revelaram um novo estudo que dá força à popular teoria de que uma bebida alcoólica trás felicidade e satisfação.

Dois investigadores britânicos realizaram o estudo em duas fases. A primeira reuniu jovens estáveis e bem-sucedidos, enquanto a segunda analisou pessoas com idades compreendidas entre os 30 e os 42 anos.

Durante meses foram analisados os hábitos da amostra no consumo de álcool, considerando os motivos e as causas relacionadas com essa ingestão. Depois foram medidos os níveis de satisfação e felicidade dos indivíduos.

Os investigadores deram como provado que o álcool trás felicidade, pelo menos durante algum tempo. Os indivíduos que consomem álcool de forma pontual e social revelaram níveis aumentados de satisfação e felicidade durante esse período.

Por outro lado, as novas descobertas alertam para os efeitos a médio e longo prazo que, no reverso da moeda, produzem insatisfação nos consumidores. Segundo o Daily Mail, o estudo também deixou claro que quanto maior for o grau de insatisfação, mais álcool as pessoas consomem, e o risco de dependência e infelicidade aumenta.

A relação entre a ingestão de álcool e a felicidade raramente é alvo de investigação. E as leis que regulamentam o seu consumo também não tem em consideração tais fatores. Para os investigadores, Ben Baumberg Geiger, da universidade de Kent, e George MacKerron, da universidade de Sussex, estes novos dados devem ser considerados pelos responsáveis políticos na análise do custo-benefício relacionado com o consumo de álcool.