Um estudo, publicado recentemente na revista eLIFE, analisou o progresso no tamanho de uma amostra populacional de 1.500 indivíduos, entre 1896 e 1996. Apesar de se saber que a geração seguinte será sempre mais alta do que os seus antepassados, em alguns pontos do planeta registou-se um decréscimo do tamanho da população. No entanto, houve também países que estagnaram no crescimento e ainda outras populações caíram dos pódios dos mais altos.

No final, a grande vencedora desta “corrida de tamanhos” foi a Europa.  

Os países a vermelho têm a população mais baixa. Os azuis apresentam os mais altos

No grupo dos países europeus, Portugal está entre aqueles com a população onde o tamanho apresentou menos progressos. Eles cresceram 13,9 centímetros e têm agora, em média, 1,72 metros. Elas chegaram ao patamar de 1,63, crescendo 12,5 centímetros.

Os investigadores do grupo de doenças não-transmissíveis, que colabora com a Organização Mundial de Saúde, são os responsáveis por esta pesquisa e sublinham as mudanças significativas ao longo das análises feitas durante um século. Registou-se um grande crescimento no tamanho da população europeia, muito por causa dos melhoramentos nas condições de vida, onde a nutrição é um fator central.

Os tamanhos de norte a sul 

As populações nórdicas do planeta são as que apresentam, em média, uma maior altura. Pelo contrário, é na África subsariana e no sul da Ásia que se encontra a população mais baixa.

As grandes surpresas desta investigação foram atribuídas às mulheres da Coreia do Sul e aos homens do Irão, que cresceram cerca de 20.2 e 16.5 centímetros, respetivamente.  As mulheres sul-coreanas deixaram o top 5 das mais baixas para ocuparem a tabela principal das mais altas.

O crescimento da população mundial não foi uniforme em todos os países. No Japão, a população registou um acréscimo na sua altura até 1960, depois disso houve uma estagnação. Nos anos de 1980, os chineses e os sul-coreanos ultrapassaram, em média, o tamanho dos japoneses.

Os Estados Unidos também saíram a perder desta competição de tamanhos. Os norte-americanos já foram os mais altos do mundo, mas agora viram-se ultrapassados pelos países do norte da Europa. Na última análise de dados, este foi o país que menos ganhos obteve no grupo dos países com a população mais alta.

No grupo dos países europeus, Portugal está entre aqueles com a população onde o tamanho apresentou menos progressos. Albânia e a Roménia apresentam dados semelhantes aos dos portugueses.

Este são os tops 5 dos países com as populações mais altas e mais baixas do mundo:

Países com os homens mais altos

1. Holanda

2. Bélgica

3. Estónia

4. Letónia

5. Dinamarca

 

Países com as mulheres mais altas

1. Letónia

2. Holanda

3. Estónia

4. República Checa

5. Sérvia

 

Países com os homens mais baixos

1. Timor-Leste

2. Yemen

3. Laos

4. Madagáscar

5. Malawi

 

Países com as mulheres mais baixas

1. Guatemala

2. Filipinas

3. Bangladesh

4. Nepal

5. Timor-Leste

 

Países onde o tamanho da população diminuiu

O tamanho dos adultos diminuiu em muitos países da África subsariana – algumas populações diminuíram cerca de cinco centímetros da sua altura em relação aos antepassados ou estagnaram o tamanho a partir de 1960. Mais recentemente, o mesmo aconteceu com os homens, mas não com mulheres, em alguns países da Ásia Central, como o Azerbaijão e Uzbequistão, e também no norte de África.

Tamanho das populações podem traduzir desigualdades sociais

O tamanho é associado à genética, mas também é influenciado por fatores externos. Os autores deste estudo notaram que “a nutrição e as infeções durante a infância e adolescência são particularmente determinantes no tamanho obtido na fase adulta”.

O tamanho de um adulto é fruto da interação destas experiências da infância com doenças não-transmissíveis, longevidade, educação e qualidade de vida. Estes dados podem ser facilmente obtidos em inquéritos de saúde e usados para avaliar diferenças entre os países”, acrescentaram os investigadores.