Um estudo de um antigo especialista em álcool da Organização Mundial de Saúde concluiu que «beber moderadamente é melhor do que a abstinência».

Kari Poikolainen, que durante décadas analisou os efeitos do álcool na saúde, afirmou ao «The Daily Mail» que o seu estudo lhe permitiu concluir que ingerir bebidas alcoólicas só é perigoso quando se consome mais do que 13 unidades de álcool por dia, o que se traduz em cerca de três litros.

«As evidências mostram que o consumo moderado do álcool é melhor do que abster-se totalmente. E que beber demais é pior do que abstenção - contudo, as quantidades moderadas podem ser maiores do que as diretrizes indicam», acrescenta Poikolainen. 

Segundo o especialista, as pessoas que bebem acima dos limites aconselhados podem viver mais do que quem abdica por completo do álcool. 

No entanto, o estudo de Kari Poikolainen é polémico e Julia Manning, da empresa «Think-tank 2020Health», afirma que o mesmo faz «grandes afirmações sem evidências de tais factos».

«O álcool é uma toxina e os riscos são maiores que os benefícios», afirmou.