O Senado dos Estados Unidos aprovou esta madrugada a reforma fiscal promovida pelo presidente Donald Trump, que representa a maior descida de impostos dos últimos 30 anos, mas também um aumento importante do défice orçamental.

A Câmara Alta aprovou a sua versão com 51 votos a favor, todos de senadores republicanos, e 49 contra. O senador Bob Corker foi o único republicano que se opôs à proposta.

Os líderes republicanos no Senado terão agora de conciliar o texto aprovado com os colegas da Câmara Baixa, que têm a sua própria versão, antes que Trump possa promulgar a reforma fiscal.

Esta aprovação é tida como uma importante vitória para Trump e abre caminho à primeira grande reforma do 45.º presidente dos Estados Unidos, depois do fiasco que foi a tentativa de revogação do "Obamacare", a lei sobre o sistema de saúde de Barack Obama.

Acabar com o "Obamacare" foi uma das promessas eleitorais de Trump, mas o líder norte-americano ainda não conseguiu a aprovação desta medida no Senado.

Entretanto, o presidente norte-americano já reagiu no Twitter, afirmando que quer promulgar a reforma fiscal antes do Natal.