Um agente da polícia da Pensilvânia, nos Estados Unidos, decidiu pagar a conta do restaurante a um casal que se tinha recusado a sentar-se perto dele e dos colegas.

Chuck Thomas, do departamento de polícia de Homestead, disse à ABC News que estava juntamente com outros três oficiais a jantar num restaurante, na sexta-feira, quando se aperceberam de um casal se recusou a sentar-se na mesa ao lado.

Um homem e uma mulher dirigiam-se para a nossa frente quando ele disse que não queria sentar-se ali”, relatou o polícia ao canal de televisão norte-americano.

Os agentes policiais ainda tentaram tranquilizar o homem, que ainda reafirmou que "não queria nada com a polícia".

O casal acabou por se sentar longe da mesa onde estava Thomas e os colegas. No final da refeição, o polícia da Pensilvânia foi ao balcão e pediu a conta do casal. No talão, Chuck Thomas deixou um recado que depois partilhou no Facebook.

A tensão entre a comunidade norte-americana e a polícia foi adensada depois dos confrontos que vitimaram pessoas de raça negra no Louisiana e no Minnesota. Dois polícias caucasianos abateram dois negros sem motivo aparente. Estes acontecimentos geraram manifestações em todo o país e, em Dallas, um atirador abateu cinco polícias e feriu outras 11 pessoas.

Leia também: cirurgião que tratou polícias feridos entende raiva do atirador

Depois da comunidade internacional ter condenado o ataque, o presidente Barack Obama sublinhou “que a maioria dos agentes da polícia faz um trabalho duro e perigoso de uma maneira justa e profissional”, pelo que “eles merecem o nosso respeito e não o nosso desprezo”, apelando a que não se cataloguem todas as pessoas de modo igual, de acordo com a Reuters.